17/10/2018

O Jornal Edições Anteriores Mídia Kit Fale Conosco

17/10/2018

Nova frota de ônibus voltadas aos cadeirantes facilita vida dos atletas da ADD

Publicado em 05/04/2018

A Associação Desportiva para Deficientes (ADD) foi inaugurada em 1996, através de Steven Dubner professor de educação física e pela administradora Eliane Miada, com o objetivo de proporcionar um

 

 

 

 

A Associação Desportiva para Deficientes (ADD) foi inaugurada em 1996, através de Steven Dubner professor de educação física e pela administradora Eliane Miada, com o objetivo de proporcionar uma qualidade de vida melhor e inclusão social das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Está localizada no Jabaquara.

A ADD é uma entidade sem fins lucrativos, sobrevivendo de doações, parcerias e  patrocínio de diversas empresas, que contribuem de forma institucional ou por meio da Lei de Incentivo do governo, e comemorou seus 22 anos de existência neste dia 01/04. A associação oferece a seus alunos desenvolvimento em diversas modalidades como basquete em cadeira de rodas, natação, atletismo, além de apoiar atletas de ciclismo. Sendo pioneira também na educação esportiva de crianças  com deficiência, desde 2001.

Nestes 22 anos de existência a locomoção dos atletas eram feitas através do programa Atende do Estado de São Paulo como afirma a presidente da ADD, Eliane Miada “temos uma parceria com o serviço Atende do governo de São Paulo, onde pega as crianças em suas residências e leva-os até o Centro Paraolímpico. Possuímos alguns alunos que moram fora São Paulo, eles vêm de transporte público até o terminal Jabaquara e descem a pé até o CT Paraolímpico e depois da criação desta linha facilitou muito a ida e vinda dos alunos. E também aos sábados temos o auxílio do transporte da ADD que faz essa ponte até o centro paraolímpico” avalia.

Esta nova linha (605A/10), que entrou em circulação no dia 17 de março, tem capacidade para atender quatro cadeirantes em um único ônibus, algo nunca vista nos transportes públicos de São Paulo. O trajeto do ponto inicial (Centro Paraolímpico) ao ponto final (Terminal Jabaquara) é feito em 15min, tendo 3,9 km de extensão, de acordo com as projeções da SPTrans. Além de atender as necessidades dos cadeirantes e pessoas com deficiência, este ônibus tem capacidade para transportar em média 2.500 pessoas por dia útil.

O CT Paraolímpico Brasileiro fica às margens da rodovia dos Imigrantes no km 11,5. Este novo veículo todo projetado para eles (pessoas com deficiência e cadeirantes) não possui catraca, tendo apenas um validador de passagens, piso baixo, suspensão pneumática para facilitar o embarque e desembarque.

O presidente da SPTrans José Carlos Martinelli indaga que “ é uma configuração inovadora e uma experiência que nos dá satisfação porque proporciona melhoria na rotina das pessoas que precisam e vinham fazendo um esforço enorme para chegar ao CT Paraolímpico”, relatou em publicação feita no  site da empresa (SPTrans).

O jogador de basquete do time Magic Hands e da Seleção Brasileira de Basquete de Cadeira de Rodas, Glebe Cândido Alves da Silva, 39, relatou que uma das maiores dificuldades enfrentadas “são em dias de chuva andar nas ruas de São Paulo já é muito ruim para um cadeirante e em dias chuvosos isso piora pois tem muita subida e descida”.

Ainda segundo Glebe “essa iniciativa é um ótimo começo, pois andar em São Paulo de ônibus é muito complicado para nós (cadeirantes) e alguns ônibus não são adaptados e os que são somente um cadeirante por vez, já aconteceu comigo de estar dentro do coletivo e um outro cadeirante não poder entrar porque já estava ocupado e vice e versa. Foi uma grande iniciativa, pois precisamos de mais transportes adaptados para que tenhamos o direito de ir e vir como qualquer um outro cidadão” conclui.

Atualmente, São Paulo conta com 14.379 frota de transportes coletivos, sendo que 92,6% já são acessíveis a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. A SPTrans trabalha para que toda frota seja adaptada a essas pessoas.

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

FECHAR

 
Publicidade