10/04/2020

Prepare seu comércio em relação ao coronavírus

Publicado em 19/03/2020

Boas práticas para essa situação como empreendedor

Preocupados com a situação alarmante sobre o COVID-19 e as medidas preventivas tomadas pelo país, selecionamos algumas boas práticas para te ajudar a lidar com esta situação como empreendedor:

  1. Fique atento, pois o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) proíbe ao fornecedor elevar o preço de produtos sem justa causa. 
  2. Estipule uma quantidade máxima de compra de produtos de maior procura para que nenhum cliente fique sem.
  3. Adote um esquema de revezamento seguro e quantidade máxima de clientes circulando pelo interior da loja.
     
  4. Invista em um aplicativo de entrega. Pois a previsão é que as pessoas deixarão de buscar por serviços físicos e o substituam por serviços de entrega.
  5. Invista no WhatsApp para negócios e receba seus pedidos pelo aplicativo. Pois assim o cliente passa apenas para fechar a compra e pegar seus itens, evitando a movimentação pela loja e o contato direto entre as pessoas.
  6. Aproveite este período de baixa movimentação para organizar suas finanças e se especializar em assuntos sobre planejamento, por exemplo.
     
  7. Se organize financeiramente! Bancos como a Caixa Federal Econômica, Banco do Brasil, Itaú e Santander vão atender pedidos de prorrogação dos vencimentos de dívidas por 60 dias.
  8. Use os canais digitais do seu banco (aplicativo e internet banking) para pagar contas, fazer transferências ou qualquer outra transação bancária. Isso evita que você tenha que se deslocar até a agência física.
  9. Fortaleça o laço com os seus clientes criando "kits quarentenas" a um preço acessível. Dessa forma você demonstra cuidado com a saúde dos seus consumidores e aproveita para fidelizá-los.
  10. As boas práticas de higiene são imprescindíveis:
  • Deixe frascos de álcool em gel no seu estabelecimento, tanto para os seus funcionários quanto para os seus clientes.
  • Oriente seus funcionários para evitar tocar olhos, nariz e boca. Pois essas regiões são sensíveis à contaminação por terem contato direto com a corrente sanguínea, enquanto as mãos estão em sempre em contato com outras superfícies e podem ser vetores de vírus e bactérias. 
  • Reduza o quadro de funcionários.
  • Se qualquer funcionário apresentar qualquer sintoma da doença, peça para que fique em casa.

(Lembrando, apenas serviços essenciais podem operar, dennter eles; pet shop, redes de alimentação, farmacias, postos de gasolina e postos de venda de gás.) 

 

Fonte: Programa NEX

 

FECHAR

 
Publicidade
Publicidade
Publicidade