17/10/2018

O Jornal Edições Anteriores Mídia Kit Fale Conosco

17/10/2018

QUANDO A SOLUÇÃO PODE ESTAR EM NOSSAS MÃOS

Publicado em 26/04/2017

Definitivamente vivemos dias traumáticos em nosso país! Se por um lado temos a grave crise politica que arrasta

  Legenda

 

 

Definitivamente vivemos dias traumáticos em nosso país! Se por um lado temos a grave crise politica que arrasta todos nós brasileiros para uma vala comum do descrédito, sendo ou não partícipe deste ou daquele partido politico, por outro, nos arrasta também para o sofrimento, da míngua lamentável de não poder avistar sequer uma luz ao fim do túnel. Vivemos a história que nossos avós e pais, certamente, não sonharam ou quiseram para nós. Mas com crise ou não...estamos vivendo. Atualmente nos deparamos com as dificuldades mais prementes do seres humanos que habitam e convivem em grupos. Nos deparamos com a  crise generalizada do viver, morar, sair, correr, divertir e porque não dizer: sobreviver. 

 

Pensando sempre no sucesso e bem estar de pessoas, e, especialmente, em nosso caso, profissionais do ramo imobiliário,  que verificamos diariamente quão caótica está a busca desse nosso povo pela realização do sonho da casa própria, foi que decidimos elencar algumas possibilidades reais para minimizar essa enorme carência de moradia popular digna a tantos e todos milhões de brasileiros que dele necessitem. 

 

Diferente de tantos anos atrás, nas décadas de 70 e 80, quando podíamos elencar casos nos quais o dono da terra e do imóvel, era aquele que comprava seu lote 10x25 e ali construía sua casa, pagava aos poucos seu carnê e, ao longo de 20 anos,  conseguia saldar sua divida, tendo em contrapartida, a escritura de seu lote, que virou seu lar, repouso sagrado e necessário. Naquela época todos cidadãos comuns podiam comprar seu terreno, ou legalizá-lo e ter por fim, seu ideal realizado, não importando a qual classe social pertencesse. Infelizmente, hoje, isso não acontece mais.

 

 Homens e mulheres, chefes de famílias, continuam sonhando com  a casa própria, mas, sem grandes possibilidades de realização desse sonho, senão pelo " suporte" emprestado pelo Governo Estadual , ou pelo Ministério das Cidades, através de programas sociais escravizantes que constroem casas fracas e modestas, geralmente em bairros extremamente periféricos, a preços astronômicos. 

 

Hoje a necessidade da urbanização legal dos imóveis,  traz consigo, e com a crise, a lembrança de que ninguém, chamado de " baixa renda", tem condições de adquirir seu imóvel, sem ficar preso o resto de sua vida a um financiamento interminável, neste ou naquele banco, ou com este ou aquele projeto financeiro governamental. Nós discordamos desse modelo estabelecido há anos, dadas suas características nefastas, sempre em favor do Sistema Financeiro Habitacional. Então questionamos: Porque as secretarias de habitação, conselhos municipais ou o próprio Estado não adotam medidas mais simples em beneficio dessa população que a cada dia engrossa as estatísticas do déficit habitacional no nosso Estado.

 

 A capital e os municípios vizinhos da grande São Paulo, em seus lotes urbanos, chácaras, sítios e até fazendas, muitos com grande dificuldade de negociação para venda ou loteamentos nos moldes tradicionais, poderiam ser passiveis de leis de interesse público, com valores dentro  da realidade social do povo inscrito de " renda C e D" e ampla negociação com os proprietários, o Governo, o Poder Público, para toda a instalação de benfeitorias, e os interessados. Assim todos ganhariam e o deficit habitacional, melhor encaixado  na realidade da maioria, certamente iria diminuir, ou zerar..

 

Acreditamos que há solução para todo e qualquer problema, basta que a maioria, aquela que realmente pode promover a mudança, faça sua parte. Nós podemos mudar, condições existem... e só começar!.

Porque não nós? A crise existe...mas soluções também. Pode ser que o bom começo seja pela questão da habitação ou.. pela. realização do sonho da CASA PROPRIA.

Vamos fazer a nossa parte? 

 

 

Edis Geraldo Siqueira

Corretor de Imóveis

 

 

 

 

FECHAR

 
Publicidade