13/10/2019

O Jornal Edições Anteriores Mídia Kit Fale Conosco

13/10/2019

Monitoramento nas árvores do Jabaquara

Publicado em 02/10/2019

Aparelhos para análise interna que informa o estado e se há necessidade de remoção

No dia 23 de setembro o Prefeito Bruno Covas esteve no Jabaquara na Rua Araquém esquina com a Damasceno Vieira; para apresentar os aparelhos Penetrógrafo e Tomógrafo Sônico, que fazem monitoramento de árvores. Esses aparelhos são utilizados para análise interna nas árvores; informando o estado da mesma e se há necessidade de remoção.

Os aparelhos estão em uso apenas na Subprefeitura Jabaquara, em fase de teste, e caso apresente bons resultados o mesmo será utilizado nas outras 31 Subprefeituras da cidade.

“Nós nunca sabemos a quantidade de árvores que deixaram de cair por conta de um trabalho preventivo, sabemos apenas quantas caíram. Estamos apostando ainda mais em tecnologia em uma etapa experimental aqui no Jabaquara, se der certo a expectativa é levar esse tipo de análise para outras subprefeituras”. Declarou Bruno Covas.

O Penetrógrafo e o Tomógrafo Sônico ajudaram a equipe de agrônomos a diminuir a quantidade de quedas de árvores, auxiliando a distinção das que aparentam estar saudáveis e internamente estão ocas.

“São Paulo tem 650 mil árvores em ruas e praças. Por isso a utilização desses equipamentos para análise aprofundada é de extrema importância; para verificarmos se a árvore está oca ou comprometida, algo que visualmente não é possível fazer”, disse o subprefeito do Jabaquara Arnaldo Faria de Sá.

Os dois instrumentos foram locados por seis meses pela Subprefeitura do Jabaquara, no valor de R$ 17.420,00.

A região da Vila Mascote se concentra um grande número de árvores com mais de 50 anos, o sindico Daniel Miedzinski possui em frente á seu prédio uma árvore que além da idade tem seus galhos envolvidos nos fios de eletricidade. “Essas árvores foram plantadas muito antes desse bairro existir e acabou virando um problema, fazemos a metodologia normal que é fazer uma notificação ou reclamação no 156 e encaminhar para a prefeitura porém com as reuniões do CONSEG esse ano já vimos a prefeitura retirar umas 4 arvores nesse quarteirão, estavam comprometidas. É melhor tirá-las do que caírem e causarem um transtorno. O que estão fazendo agora é muito mais inteligente, vamos ver se precisa tirar e trocar por outra” declarou.

FECHAR

 
Publicidade